10 artistas autorais desfilam no pré-carnaval de BH!

Scroll this

Trio Chacoalha reúne 10 bandas e 2 DJs em folia que percorre as ruas do baixo centro cidade


Nos dias 18 e 19 de fevereiro, no fim de semana que antecede o carnaval, o Trio Chacoalha ocupa o centro de Belo Horizonte, em dois dias inteiros de festa e música. E com um diferencial: o desfile conta apenas com bandas autorais. Os artistas locais são maioria: Graveola, Família de Rua, Djalma Não Entende de Política, Iconili, Gustavito, Pequena Morte e Di Souza. Também se apresentam a banda alemã Yellow Cap, a pernambucana Eddie, além de BNegão e os Seletores de Frequência.

O bloco se concentra às 14h na Avenida do Contorno entre as ruas da Bahia e Espírito Santo, em frente à antiga Escola de Engenharia da UFMG e segue pelo centro de BH até às 21h30, quando deverá encerrarA proposta do Trio Chacoalha se conecta com a história do renascimento do carnaval de rua na capital mineira. A vontade de ocupar o espaço público com cultura e de estabelecer elos afetivos entre as pessoas e a cidade é o ponto de partida de ambas as movimentações. Além de tornar possível o encontro entre públicos para festejar em meio à diversidade, o bloco pretende ainda incentivar o contato com a música autoral produzida na cidade. “Nossa ideia é aproveitar o desejo por folia que toma conta de BH, para levar ao maior número de pessoas possível a música de artistas independentes, com shows festivos e eletrizantes”, explica Gabriel Assad, sócio da Híbrido Comunicação e Cultura, produtora do bloco.

Concentração nos dois dias: 14H em frente à antiga Escola de Engenharia da UFMG, no Centro de BH (Av do Contorno, entre Rua da Bahia e Espírito Santo).

Bandas de BH na FOLIA

O TRIO CHACOALHA selecionou artistas com perfis diversos para se apresentarem. Alguns têm relação direta com o resgate do carnaval local, como os músicos Gustavito e Di Souza e integrantes das bandas ICONILI, Pequena Morte e Djalma Não Entende de Política; outros são conhecidos pelo engajamento na ocupação do espaço público, como a Família de Rua e o Graveola. Já a banda Eddie tem no seu currículo várias apresentações durante o carnaval de Recife. Para além dessas conexões, a intenção da curadoria é reunir músicas de qualidade e estimular a diversão e a troca com o público. Afinal, o que é música de carnaval?

 

QUEM TÁ FAZENDO? E COMO TÃO PAGANDO A CONTA?

O Trio Chacoalha é uma realização da híbrido.cc. Desde 2011, a produtora cultural desenvolve ações que tentam dar destaque para a música independente no carnaval de Belo Horizonte, com atenção especial para os artistas locais. Entre 2011 e 2014, a Híbrido realizou o festival S.E.N.S.A.C.I.O.N.A.L! durante o período carnavalesco. Em 2016 ele foi transferido para o meio do ano. Com a mudança, o espaço para as bandas locais no carnaval encolheu.

A ideia de retornar em 2017 com um bloco partiu do desejo de reocupar e ampliar esse espaço, porém de outra maneira. “O TRIO CHACOALHA não é um evento, não tem bar, nem monta palco. Somos um bloco e pretendemos criar uma relação diferente entre os artistas locais e os foliões. Temos a esperança de ajudar a transformar o carnaval de rua da cidade em uma poderosa ferramenta de fomento da música contemporânea de Belo Horizonte”, afirma Victor Diniz, sócio da Híbrido.

O Trio Chacoalha conta com o apoio da Belotur e o patrocínio da Skol. Toda a programação é gratuita.

Respeite as minas, capriche na fantasia, chame azmiga, use transporte público (libere a rua para as pessoas) e cuide da cidade que é nossa! 🙂

PS: tá a fim de levar a sua própria bebida? Fique à vontade! A rua é de todxs e não teremos bar oficial! 😉

Submit a comment